Toni Grilo

Designer

Toni Grilo - Designer

 “…O design, ou dizendo melhor a criação contemporânea no sector da casa, ainda não representa uma grande percentagem das compras nacionais. Provavelmente por razões socio-culturais…”

“Uma iniciativa como o LXD é fulcral, pois pretende reunir todos estes protagonistas no mesmo local: é para mim a grande vantagem do evento, pois é assim propício ao contacto.”

LISBOA DESIGN SHOW (LXD) – Como vê uma iniciativa como o Lisboa Design Show, este ano na sua segunda edição?
TONI GRILO (TG) – Em Outubro vou ver o Lisboa Design Show da melhor forma : de fora para dentro. Pois este ano, já não estou à frente da organização do evento, e terei assim o prazer de viver os acontecimentos como simples participante. 
Fora a minha contextualização, espero ver um evento com qualidade. Conhecendo a equipa da organização e sabendo que houve mais tempo de preparação, o upgrade só pode ser positivo e estou confiante do bom resultado. A segunda edição é sempre melhor.

LXD – Qual a importância de iniciativas como estas para a promoção do design nacional e sectores económicos em que este é um elemento central no marketing?
TG – Em primeiro lugar, o design português merece todas as atenções, quer sejam do público, do sector empresarial ou das instituições. Uma iniciativa como o LXD é fulcral, pois pretende reunir todos estes protagonistas no mesmo local: é para mim a grande vantagem do evento, pois é assim propício ao contacto.
A meu ver, a promoção propriamente dita não deve ser um objectivo. Vejo o LXD como um vector de oportunidades, um provocador de encontros e um estimulador de negócio. Temos que valorizar o design como disciplina que serve o sector empresarial e económico. Não podemos cair no erro de o promover como modo de expressão artística.

LXD – Em traços largos, qual é a história do Toni Grilo?
TG – Faz agora 10 anos que cheguei a Portugal. Filho de emigrantes portugueses, nasci, estudei e trabalhei em França, sem nunca me interessar pelas minhas origens, confesso. Até que o azar da vida me trouxe para cá. Aprendi a língua, absorvi a cultura e hoje considero-me talvez mais português do que os Portugueses: pois sou um eterno optimista e gosto de defender a bandeira (com sotaque).
 Há vários anos então que tenho uma empresa que presta serviços de design e de direcção artística. Sou um simples designer, apaixonado pela minha profissão, dedicado e fiel às pessoas com quem trabalho.

LXD – O que espera do Lisboa Design Show 2011?
TG – Espero sinceramente sentir uma energia positiva entre os participantes e visitantes no LXD 2011.

LXD – Considera que o design já faz parte das prioridades do consumidor português?
TG – O design, ou dizendo melhor a criação contemporânea no sector da casa, ainda não representa uma grande percentagem das compras nacionais. Provavelmente por razões socio-culturais. No entanto o interesse tem vindo a crescer nos últimos anos, sobretudo com a entrada no mercado de grandes marcas internacionais, como é o exemplo da revolução Ikea.

LXD – E do empresariado nacional?
TG – As empresas portuguesas têm vindo ultimamente a perceber que o design pode ser útil ao negócio. O trabalho do designer é trazer novidade, ou mesmo inovação, na empresa. Com a conjuntura actual, o design pode representar uma boa arma para enfrentar a crise.

http://www.tonigrilo.com