Dupla FASM

Dupla FASM

Dupla FASM

Fiabilidade, Adaptabilidade, Sustentabilidade e Mobilidade… foi o nome escolhido pela dupla Filipe de Sousa Lopes, designer de equipamento e Manuel Moreira, arquitecto.
Na fase de preparação da participação no LISBOA DESIGN SHOW, a dupla “levanta o véu “ sobre as novidades que podemos encontrar no seu espaço… “Vamos lançar um novo produto no LXD, a “retrodraw”. Esta peça surge da parceria da fasm com o arquitecto Frederico Campos (Draw, assim conhecido no meio artístico), Frederico Draw é um jovem artista, mas, já muito reconhecido no âmbito da arte urbana, especificamente o graffiti….” Curiosos?!?!??!

Quem é a Dupla FASM?
A dupla FASM é constituída pelo Filipe de Sousa Lopes, designer de equipamento e Manuel Moreira, arquitecto.

Como conheceram-se?
No tempo de faculdade e pela proximidade familiar.

Quando decidiram juntar-se para arrancarem com o vosso projecto?
A ideia surge algum tempo depois de concluirmos os respectivos cursos e em finais de 2009 damos inicio a este projecto.

Como surge a FASM?
A FASM surge como extensão e complemento à nossa formação e trabalho de gabinete. Numa perspectiva de criar peças novas com qualidade estética, prática e funcional, e responder a nossa curiosidade, admiração e relação com o mobiliário. Aproveitamos o conhecimento muitas vezes apreciado e vivido “in loco”, pela proximidade com este tipo de objectos feitos aqui ao lado em centenas de fábricas…

Porquê este nome, FASM? O que significa?
Fiabilidade, Adaptabilidade, Sustentabilidade e Mobilidade…
Como em qualquer empresa ou marca existe sempre a dificuldade de encontrar um nome. Connosco não foi diferente.
Tentamos explorar um nicho de mercado baseado nestes factores.
São factores que tentamos ter sempre em conta no trabalho que desenvolvemos.
Isto é a FASM…

Quando criaram a vossa marca, qual o segmento que pretendiam atingir, o que tinham em mente?
Aproveitamos o facto de estarmos inseridos na Capital do Móvel, onde o saber fazer, tradição e modernidade se cruzam. Demos asas à imaginação e à nossa criatividade tentando usufruir do know-how da localidade para desenvolver e projectar peças de mobiliário, para já mais na área de estofos, mas brevemente noutras áreas…

Quando tinham 6 anos de idade o que gostavam de ser quando fossem grandes? Designers?
Filipe: Sempre gostei muito dos trabalhos manuais, de desenhar, mas nunca me passou pela cabeça em estar ligado ao meio artístico o design em criança nunca foi um objectivo. Sempre tive sonhos comuns à maioria das crianças, queria ser cozinheiro (se fosse hoje era chefe de cozinha, hihihi) ou jogador de futebol.
Manuel: Que me recorde com essa idade, estava mais voltado para a área das ciências, sempre gostei de áreas relacionadas com o mundo natural, a Natureza ainda hoje é das coisas que mais me fascina, talvez a minha ideia nessa altura fosse trabalhar para a BBC Vida Selvagem… o interesse pela arquitectura e pelo design surge mais tarde.

Qual a vossa formação?
Filipe: Estudei Design de Equipamento na Escola Superior de Artes e Design (ESAD), em Matosinhos e licenciei-me em 2005. No mesmo ano, comecei a leccionar no ensino básico (até aos dias de hoje) e simultaneamente trabalhar como freelancer na área de equipamento e interiores. Recentemente terminei o mestrado em ensino das artes visuais na Universidade Católica Portuguesa, em Braga (UCP) (onde vou defender a minha tese de mestrado em “Processos criativos na execução da imagem publicitaria.”) e a Pós-Graduação em Design de Mobiliário na Escola Superior de Estudos Industriais e de Gestão (ESEIG).
Manuel: Concluí a Licenciatura e o Mestrado em Arquitectura na Universidade Lusíada do Porto, no Mestrado desenvolvemos uma área específica do Património Construído, defendi a minha dissertação para obtenção do Grau de Mestre com o tema: Adaptação de Patrimónios Construídos em Zonas Rurais – Lagar de Azeite.
Entre outros cursos e formações, recentemente a Pós-Graduação em Design de Mobiliário na Escola Superior de Estudos Industriais e de Gestão (ESEIG).

Na vossa carreira, têm tido os apoios necessários para avançarem com o vosso projecto?
O apoio familiar tem sido a base para que este projecto fosse e continue a ser possível.

Qual a importância do LXD para FASM?
O lisboa design show surge num momento crucial na expansão da fasm, o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido começa a ser reconhecido nacional e internacionalmente, com nomeações no ano de 2013 para os Projectos Originais Portugueses (POPs) do Museu Serralves e para o International Products Design Awords (IPDA)…. Esta será a primeira oportunidade que temos de levar o nosso trabalho até Lisboa. Será um dos principais momentos para a promoção, dinamização e mostra da nossa marca.

Os Jovens designers têm “Palco” em Portugal?
Não. É muito difícil lá chegar…

A vossa participação no LXD vai surpreender quem nos visitar?
Estamos a trabalhar para isso.

Querem  avançar com algumas novidades ou vamos esperar pela surpresa no evento?
Vamos lançar um novo produto no LXD, a “retrodraw”. Esta peça surge da parceria da fasm com o arquitecto Frederico Campos (Draw, assim conhecido no meio artístico), Frederico Draw é um jovem artista, mas, já muito reconhecido no âmbito da arte urbana, especificamente no graffiti.
Este produto será concebido na forma de edição limitada.
Não podemos adiantar muito mais, esperem para ver!!!

É fácil para um jovem designer ganhar proximidade junto dos media em Portugal?
É muito difícil chegar até à comunicação social, e sem ela é difícil de chegar às pessoas… Temos que batalhar muito e bater a todas as portas para que nos sejam abertas algumas…

Que mensagem deixam para os jovens designers que ambicionam criar a sua marca?
Trabalhem muito! Lutem pelos vossos sonhos… Não desistam à primeira, nem à segunda, nem à terceira… Quando menos esperamos temos alguém a dar-nos força e a reconhecer o trabalho que desenvolvemos.

O que mudariam no nosso país para aumentar a expressão do design nacional?
Os apoios dados ao design e aos designers. Não chega formar designers é preciso que as empresas apostem na mais-valia que é ter um quadro superor na área do design.

Qual é o vosso “ídolo” no mundo do design? Nacional e Internacional, porquê?
Não temos ídolos, temos designers que gostamos e admiramos, é aqui que bebemos alguma inspiração.

Se tivessem que impressionar, para serem contratados pelo melhor gabinete de design de equipamento do mundo, o do vosso ídolo, em duas frases o que escreviam?
Em duas palavras… Dedicação e trabalho!!! Muito trabalho!

Há horas do dia que fomentem a criatividade?
Qualquer hora é uma boa hora para trabalhar e criar.

Qual a vossa fonte de inspiração?
As pessoas e as suas necessidades.

Qual o designer nacional e internacional que gostariam de privar durante um dia?
Nacional, Francisco Providencia e Miguel Arruda, e internacional, Philippe Starck e Karim Rashid.

O design faz parte das prioridades dos portugueses ou ainda não?
Depende da geração… As gerações mais velhas ainda não têm grande abertura para o design.
Felizmente cada vez mais o design e os designers são valorizados pelo contributo que vão dando no melhoramento da qualidade de vida das pessoas.

Curiosidades sobre FIlipe de Sousa Lopes

Género musical preferido – Rock
Género literário preferido – Romance
Autor preferido – Miguel Sousa Tavares
Realizador preferido – Quentin Tarantino
Filme preferido – Pulp Fiction
Livro de cabeceira – Não tenho
Um álbum que o tenha marcado – The Wall – Pink Floyd
Um livro que o tenha marcado – Equador
Um filme que o tenha marcado – Tenho muitos!!!
Nas férias: praia ou campo? Praia
Um destino de férias (nacional ou internacional) – Portugal – Algarve – Alvor / Internacional – México – Riviera Maya  – Praia del Carmen
Pratica alguma actividade física? Jogging
Em férias, qual o destino nacional que recomenda? Algarve – Alvor
Qual a sua cor favorita? Azul
Qual o seu fruto favorito? Maça
Divisão da casa favorita? Cozinha
Divisão da casa onde passa mais tempo acordado? Sala
Prefere trabalhar em casa ou fora de casa? Fora de casa
Prato preferido da gastronomia nacional? Cabrito assado no forno
Sobremesa preferida da gastronomia nacional? Rabanadas.
Água, vinho ou cerveja? Vinho.
Têm algum animal de estimação? Como se chama? Sim, um peixe e chama-se Horácio!

Curiosidades sobre Manuel Moreira

Género musical preferido – Pop/Rock e Jazz
Género literário preferido – Romance e Policial
Autor preferido – Talvez o japonês, Haruki Murakami
Realizador preferido – Os portugueses em geral
Filme preferido – Assim de repente…Balas e Bolinhos
Livro de cabeceira – 1Q84
Um álbum que o tenha marcado – Não tenho
Um livro que o tenha marcado – Talvez, Ensaio Sobre a Cegueira
Um filme que o tenha marcado – Que me tenha marcado? Não consigo escolher um.
Nas férias: praia ou campo? Alguma praia e muito campo
Um destino de férias (nacional ou internacional) – México, Riviera Maya
Pratica alguma actividade física? Neste momento jogo Futebol Popular/Amador no S.C. Freamunde.
Em férias, qual o destino nacional que recomenda? Férias no campo, Trás-os-Montes e Alto Douro
Qual a sua cor favorita? Vermelho…
Qual o seu fruto favorito? Pêssego
Divisão da casa favorita? Terraço
Divisão da casa onde passa mais tempo acordado? Talvez na sala
Prefere trabalhar em casa ou fora de casa? Fora de casa, de preferência ao ar livre.
Prato preferido da gastronomia nacional? Tenho vários, mas talvez bacalhau com broa.
Sobremesa preferida da gastronomia nacional? Pastel de Nata
Água, vinho ou cerveja? Vinho.
Têm algum animal de estimação? Como se chama? Tenho uma dupla canina inseparável, “Kika” e “Xapa, uma pastora alemã e um pointer.