Dupla ad+r Creative Studio

Gabinete multidisciplinar de criativos

Dupla ad+r Creative Studio

A Dupla ad+r é constituida pela Luciana e Artur, conheceram-se na pós-graduação em 2012 e rapidamente perceberam que as suas perspectivas sobre o Design era e são muito similares. Assim nasce a ad+r, uma marca que promete fazer história e deixar marca no mundo do Design.

Quem é a AD+R Creative Studio?
AD+R: A ad+r Creative Studio é um gabinete multidisciplinar de criativos, sediado em Matosinhos que visa interligar as áreas de Arquitectura, Design de interiores e equipamento, entre outros. Enquanto criativos, contribuir para mudanças de mentalidades e de qualidade de vida são as suas premissas e para isso cada projecto é encarado como único e irrepetível, sob perspectivas nunca antes explorados num pensamento criativo “fora da caixa”, fora dos canones pré-concebidos.
O gabinete caracteriza-se pelo total respeito e interesse pelos materiais nobres, respeitando a sua natureza e características que são únicas.
Novos modos de vida, necessidades, tradição, cultura e técnicas antigas são a fonte de inspiração para os processos criativos e de desenvolvimento.

Como conheceram-se?
AD+R: Na pós-graduação em Design de Mobiliário, leccionada pelo ESEIG durante Outubro de 2012 a Julho de 2013.

Quando decidiram juntar-se para arrancarem com o vosso projecto?
Artur: No decorrer deste ano, percebemos, em que algumas conversas que tivemos durante a formação, que tínhamos uma perspectiva muito similar sobre o Design e que poderia ser interessante explorar algumas ideias comuns. Daí surgiu o convite para a Luciana fazer parte da equipa da ad+r.

Como surge a ad+r Creative Studio?
Artur: Surge no inicio do ano e, curiosamente, como um portfólio online, onde divulgava alguns dos meus trabalhos nos campos da Arquitectura, Design e Rendering, uns em parceria e outros enquanto Freelancer. Atualmente, e face ao volume de trabalho que felizmente tem surgido, a ad+r Creative Studio acabou por tornar-se “algo mais sério”.
Luciana: Surge a convite do Artur, no qual se apresenta como um projecto de valor e com margem efectiva de franco crescimento.

Porquê este nome, ad+r Creative Studio? O que significa?
AD+R: O nome reflete os campos de intervenção do gabinete que são a Arquitetura, o Design e o Rendering.

Quando criaram a vossa marca, qual o segmento que pretendiam atingir, o que tinham em mente?
AD+R: O que pretendemos neste momento é explorar novos materiais, trabalha-los, descontextualizá-los, conhecer novas técnicas e aplica-las nos nossos projetos. Acreditamos que podemos desenvolver peças interessantes, funcionais e ao mesmo tempo atrativas, ou se preferirem “vendáveis”. Estamos conscientes que o tipo de produto que temos vindo a desenvolver, não só pela nobreza dos materiais utilizados mas também pelo tipo de técnicas a que se recorre, direciona o produto para um mercado especifico. Contudo, neste momento o mais importante para nós é revermo-nos nos trabalhos produzidos.

Quando tinham 6 anos de idade o que gostavam de ser quando fossem grandes? Designers?
Luciana: com 6 anos, não haviam projecções de futuro ( só muito mais tarde é que começou a existir), havia sim muita brincadeira e o ingressar na vida académica.
Artur: Com 6 anos? Queria uma bola para jogar com os meus amigos…

Qual a vossa formação?
Luciana: em 2006 terminei a licenciatura em design de equipamento e de seguida a licenciatura em design de interiores, ambos na ESAD. Em 2012/2013 juntamente com o Artur concluí a Pós-graduação em Design de Mobiliário, leccionado pelo ESEIG.
Artur: Concluí o Mestrado em Arquitetura pela Universidade Lusíada do Porto em 2011 e recentemente a Pós-graduação em Design de Mobiliário na “Design-Box” da ESEIG, pelo Instituto Politécnico do Porto.

Na vossa carreira, têm tido os apoios necessários para avançarem com o vosso projeto?
AD+R: O projeto é ainda muito recente, mas temos contado com diversos apoios (alguns fornecedores de longa data) e outros com quem temos desenvolvido parcerias mais recentemente.

Qual a importância do LXD para ad+r Creative Studio?
AD+R: É o nosso primeiro passo no que à divulgação do nosso trabalho diz respeito, daí ser de uma grande importância. É aqui que divulgaremos as nossas primeiras peças e exprimiremos o rumo a seguir. Será igualmente importante para começar a criar uma rede de contactos (nacional e internacional) com todos os que demonstrem interesse pelo nosso projeto.

Os Jovens designers têm “Palco” em Portugal?
AD+R:  Iniciativas como a LXD apontam nesse sentido. No entanto é necessário muito trabalho, persistência e dedicação para ser “ator na peça”.

A vossa participação no LXD vai surpreender quem nos visitar?
AD+R: Estamos a trabalhar nesse sentido.

Querem  avançar com algumas novidades ou vamos esperar pela surpresa no evento?
AD+R: iremos apresentar algumas peças que já estão no nosso portfólio e sem dúvida que surpresas aparecerão.

É fácil para um jovem designer ganhar proximidade junto dos media em Portugal?
AD+R: Atualmente é um processo mais simples . Os media encontram-se a “um clique” de nós. Existe um crescente interesse pelo Design e inúmeras publicações dedicadas exclusivamente ao tema, pelo que necessitam diariamente de projetos e/ ou produtos para divulgarem. Assim sendo os media tornam-se mais acessíveis.

Que mensagem deixam para os jovens designers que ambicionam criar a sua marca?
AD+R: “95% transpiração, 5% de inspiração” (e uma boa dose de sorte..)

O que mudariam no nosso país para aumentar a expressão do design nacional?
AD+R: Entendemos que para algo ser falado e divulgado, primeiro é preciso conhece-lo. Sem conhecimento e entendimento será muito difícil a divulgação. É nesse sentido que se deve apostar no nosso entender. Ao contrário da arquitectura ou no caso de outros países, o Design tem de fazer o dobro ou triplo de esforço na divulgação e reconhecimento, o motivo por nós apontado prende-se com o facto de a palavra Design entrou no nosso vocabulário muito recentemente e enquanto disciplina tem entre 20 a 30 de história nacional.

Qual é o vosso “ídolo” no mundo do design? Nacional e Internacional, porquê?
Luciana: são diversas as referencias apontar uma poderia desfraldar outras, com isto prefiro apontar movimentos ou “escolas” tais como o Arts and Crafts ou Bauhaus, entre outros. Acredito que aliada a pessoas é necessário perceber o meio em que proliferaram e acima de tudo as técnicas e tecnologias que tiveram acesso.
Artur: Steve Jobs e Charles & Ray Eames. São a minha fonte de inspiração. O que fizeram pelo Design foi excecional. A nível nacional sou franco apreciador do trabalho desenvolvido pela Paula Sousa e pelo Rui Alves.

Se tivessem que impressionar, para serem contratados pelo melhor gabinete de design de equipamento do mundo, o do vosso ídolo, em duas frases o que escreviam?
Luciana: Singularidade projectual. Pensar fora da “box”
Artur: Uma imagem vale mais do que mil palavras… ou neste caso, do que duas frases, não é? Sinceramente, acredito que apenas o tipo de trabalho já produzido poderia “aliciar” esse tipo de gabinetes. Nada melhor que ele para falar de nós…

Há horas do dia que fomentem a criatividade?
AD+R: Hmm… Existem momentos, temas, ações, objetos que vemos durante o dia que, provavelmente, fomentam a criatividade.

Qual a vossa fonte de inspiração?
Tudo o que nos rodeia, as novas necessidades, meios e tecnologias.

Qual o designer nacional e internacional que gostariam de privar durante um dia?
Luciana: Pedro Sousa ou Toni Grilo, nacional; Philippe Starck ou Dieter Rams.
Artur: Steve Jobs já não me parece possível. Philippe Starck ou Paula Sousa.

O design faz parte das prioridades dos portugueses ou ainda não?
AD+R: O Design já é visto de uma outra forma pelos portugueses. Não diríamos que seja uma prioridade, mas já visto como uma preocupação e forma de melhoria nas vendas, por parte das empresas, e pelo maioria como peça que foi pensada e projectada com um ou mais propósitos, significando normalmente mais qualidade e lado estético.

Curiosidades sobre AD+R

Género musical preferido
Luciana:
Rock
Artur: Indie/ Rock/ Pop Rock
Género literário preferido
Luciana: Ficção, policiais e Romances
Artur: Investigação/ Ficção
Autor preferido
Luciana: Diversos
Artur: Não tenho
Realizador preferido
Luciana: Quentin Tarantino
Artur: Christopher Nolan
Filme preferido
Luciana: (infância) Dirty Dancing
Artur: Inception/ Lord of the Rings
Livro de cabeceira
Luciana: Rework – Jason Fried & Heinemeier Hansson
Artur: Hmm… Não há!
Um álbum que o tenha marcado
Luciana: sempre que falamos em Radiohead
Artur: Muse – Origin of Simmetry
Um livro que o tenha marcado
Luciana:
Artur: “Rework” – Jason Fried & Heinemeier Hansson
Um filme que o tenha marcado
Luciana: Braveheart
Artur: American History X
Nas férias: praia ou campo?
Luciana: Ambos
Artur: Um pouco de cada
Um destino de férias (nacional ou internacional)
Luciana: “o mundo em geral”
Artur: Um? Tantos…
Pratica alguma actividade física?
Luciana: Corrida
Artur: Futebol
Em férias, qual o destino nacional que recomenda?
Luciana: Praia do Camilo, Lagos
Artur: Praia de S. Rafael
Qual a sua cor favorita?
Luciana: Verde
Artur: Preto
Qual o seu fruto favorito?
Luciana: Maçã
Artur: Melancia
Divisão da casa favorita?
Luciana: Sala
Artur: Sala
Divisão da casa onde passa mais tempo acordado?
Luciana: Sala
Artur: Sala
Prefere trabalhar em casa ou fora de casa?
Luciana: Fora
Artur: Fora
Prato preferido da gastronomia nacional
Luciana: Dourada grelhada com legumes
Artur: Bacalhau na brasa
Sobremesa preferida da gastronomia nacional
Luciana: Petit gateau
Artur: Mousse de chocolate
Água, vinho ou cerveja?
Luciana: Água
Artur: não aprecio tanto vinho
Têm algum animal de estimação? Como se chama?
Luciana: Não
Artur: Petra (cadela); Mac (gato)