7HILLS

7HILLS

Dulce Guarda e Hirondina Guarad são irmãs e são a alma da 7Hills. Apaixonadas por sapatos, criaram um marca que vai ao encontro de uma mulher urbana que adora moda, e estar na vanguarda das tendências mas com um toque arrojado e diferente.

Quem são a Dulce Guarda e a Hirondina Guarda?
Sou uma rapariga (Dulce) ambiciosa e sonhadora, gosto de nunca parar de aprender e fazer as coisas acontecerem. Comecei por estudar a área de gestão e marketing mas sempre tive o gosto secreto por ter a minha própria marca. Os sapatos são uma paixão tal como muitas mulheres, mas o espírito empreendedor juntamente com a paixão, transformaram uma ideia em negócio e assim nasceu a 7Hills.
A minha irmã Hirondina é uma rapariga muito criativa especialmente na área das artes, e apesar da enfermagem lhe ocupar o dia-a-dia, também a paixão pelo calçado a fez juntar-se nesta aventura da 7Hills

Como surge a 7HILLS?
A 7Hills surge da paixão pelos sapatos. Surge depois de um curso de Design de Calçado que inspirou a criação da primeira colecção “Shall We Dance” e que teve muito boas críticas. Daí a pesquisar fábricas, fazer os primeiros protótipos e lançar a primeira colecção foram alguns meses de muito trabalho e muita dedicação.

Que materiais utiliza nas suas criações?
O material principal de todos os sapatos é a pele. Depois existem outros componentes como a sola antiderrapante com uma gravação que difere por modelo, a chapa da marca e alguns pormenores consoante a colecção.

É pensada para que tipo de mulher? Urbana, Clássica, etc etc
A 7Hills vai ao encontro de uma mulher urbana que adora moda, e estar na vanguarda das tendências mas com um toque arrojado e diferente. Mas como mulher urbana que é, não dispensa o conforto. E por isso escolhe um sapato que seja confortável para o seu dia-a-dia e que transita com toda a elegância para um jantar ao final do dia ou um encontro com os amigos depois do trabalho.

Já aconteceu passar na rua e encontrar alguém a calçar os “seus” sapatos? Qual é a sensação?
Ainda não temos muito tempo de existência, no entanto já conheci uma rapariga e por coincidência falei-lhe na 7Hills ao que ela me disse “Eu conheço essa marca!Sigo-a no Facebook até já encomendei uns sapatos! Adoro-a!!” E a minha reacção foi ficar com o ego enorme e pensar “Afinal a minha marca já tem mais fãs além dos meus próprios amigos e familiares!” Mais tarde percebi que era uma rapariga que tinha encomendado uns 7Hills através da nossa página de Facebook. Ela já voltou a encomendar uns sapatos da nova colecção.

Quando surgiu o interesse pelo calçado? Foi algo que surgiu em criança?
A paixão pelo calçado foi surgindo à medida que fui crescendo e começando a criar os meus próprios looks. Depois com a dança conheci os sapatos de dança e o seu conforto, o que levou a começar a pensar num sapato que juntasse a elegância ao conforto.

Qual a sua formação?
Eu tenho por base formação em gestão e marketing. Mais tarde fiz uma pequena formação em Design de Calçado que me permitiu ganhar as bases para criar a 7Hills. A minha irmã Hirondina é actualmente enfermeira mas com muito jeito para o desenho e uma paixão por sapatos que lhe enche o closet lá de casa!

Tem tido os apoios necessários para avançar com o projeto?
Os apoios para começar a 7Hills começaram em casa com a família e apoio dos amigos. A minha professora do curso de Design de Calçado também foi uma peça fulcral para avançar com o projecto para a frente e depois dirigi-me à Apiccaps onde o Dr. Pedro Silva também foi uma grande ajuda e claro todas as pessoas muito simpáticas das inúmeras fábricas de calçado com quem contactei inicialmente.

Qual a importância do LXD para a 7HILLS?
O LXD é um evento de design que reúne grandes marcas, ajuda no apoio da divulgação através dos desfiles e a feira em si. O facto dos parceiros do LXD serem nomes com peso no mercado ajuda em muito quem se apresenta na feira já que nos projecta a um mercado bastante alargado.

Como tomou do conhecimento do LXD?
Tomei conhecimento do LXD através do Festival In. Depois de ter feito algumas perguntas sobre este festival fui encaminhada para o LXD já que seria mais direcionado à marca 7Hills.

Como define o LXD numa frase criativa?
LXD é uma festa de design! É um evento que dá espaço a quem quer chegar, viver e vencer com as suas próprias marcas.

Acha que os Jovens designers têm “Palco” em Portugal?
Acho que começa a haver eventos para expor o talento nacional, no entanto ainda existe muito para fazer a nível de apoios para quem quer começar o seu próprio negócio.

É fácil para um jovem designer ganhar proximidade junto dos media em Portugal?
É fácil entrar em contacto com os media em Portugal, é fácil enviar emails, nem sempre é fácil receber respostas. Nem todos dão hipótese para as marcas e jovens empreendedores terem destaque quando precisam, ou seja quando estão a começar e precisam de ganhar visibilidade.

Que mensagem deixa para os jovens designers que ambicionam criar a sua marca?
Arrisquem, dêem tudo por tudo. E se acreditam na vossa marca e existe espaço no mercado, então é uma questão de tempo. Tempo, perseverança e muitas horas de trabalho e dedicação.

O que mudaria no nosso país para aumentar a expressão do design nacional?
Mais eventos relacionados com as grandes áreas criativas em Portugal, o calçado é um exemplo disso. Somos dos países mais reconhecidos a nível mundial e feiras de calçado não temos uma. E depois apoios ao nível da criação de marcas e do negócio em si, como por exemplo benefícios para novas empresas/marcas.

Qual o designer nacional e internacional com quem gostariam de privar durante um dia? E o que lhe diria?
A nível nacional gostaria de conhecer o Luís Onofre e passar um dia com ele e perceber o dia-a-dia deste grande criador de sonhos femininos. Gostava de absorver tudo o que a minha mente conseguiria. Internacionalmente gostava de estar com o criador o Jimmy Choo e viver o dia-a-dia de uma marca que dita as tendências. Gostava de viver o ritmo infernal e documentar todo o processo desde as inspirações à produção. Gostava de perguntar como é que ele entende e prevê o que será ou não uma tendência.

Qual a sua fonte de inspiração?
A fonte de inspiração para a 7Hills ….. São as pessoas, os sítios, a portugalidade e o mundo que nos envolve.

Há horas do dia que fomentam a criatividade?
Não são horas, mas sim momentos e imagens. Sempre que existe algo que me inspira, eu documento, fotografo e trabalho em desenhos e palavras para mais tarde criar uma colecção.

Considera que a mulher portuguesa segue as tendências da moda?
Sim. A mulher portuguesa está atenta ao que se passa no mercado e cada vez mais, até porque o acesso à informação global é cada mais fácil e rápida.

Repara na forma como as pessoas conjugam o calçado com a roupa?
Todos os dias. Sempre que vejo alguém com uns sapatos giros e diferentes, fico a olhar a perceber cada contorno e cada detalhe. E depois gosto de ver se as pessoas são mais arrojadas ou mais conservadores na forma como conjugam a roupa, o calçado e os seus acessórios.

Na sua opinião, qual é o conceito de estar bem e mal calçada?
Na sua essência o estar bem ou mal calçada para mim é estar mais ou menos confortável. Isso para mim é a base de tudo. Porque depois depende do gosto e da personalidade de cada um.

Considera importante que a mulher deva ter vários tipos de sapatos, que definam estilos destintos, de acordo com a ocasião?
Sim claro. Acho que a nossa beleza e bem-estar interior se reflecte no exterior. E depois os pormenores como o calçado, os acessórios, a roupa que escolhemos ou o sorriso que pomos tudo influencia de acordo com a ocasião. Por isso se estamos num ambiente mais casual estaremos calçadas de forma mais prática e num jantar por exemplo vamos querer estar mais elegantes, tudo depende do nosso mood e do ambiente onde nos encontramos.

Que tipo de calçado aconselha a uma mulher urbana que se preocupa imenso com o que calça/veste, de acordo com as situações seguintes:
– Fim-de-semana numa tarefa de compras e passear na rua
Umas sabrinas, uns Oxford ou até uns ténis.
– Jantar de negócios
Uma sandália, um sapato fechado ou uma bota com um salto confortável, dependendo do tempo.
– Jantar com amigos
Algo que junte o prático mas com design, como umas sabrinas ou umas cunhas.
– No trabalho
O ambiente de trabalho depende muito de cada profissão. Aqui tudo é possível apenas temos de ter em atenção se requer algo mais ou menos formal, sem perder o design e o estilo que nos define.

Com que tipo de calçado costuma andar durante o dia-a-dia?
Como a minha marca alia o conforto ao design, eu ando com sabrinas ou uns oxford se tiver de correr de um lado para o outro, e uso um salto alto se for ter reuniões ou tenho de estar num ambiente mais formal. Se chove, não dispenso umas botas!

Curiosidades sobre 7HILLS

Género musical preferido
Gosto de variar, e prefiro sempre ouvir as letras da música. As letras inspiram-me muito. Mas confesso que o Fado é algo que gosto muito de ouvir e também grandes vozes femininas.

Género literário preferido
Gosto de livros que contem uma história baseada em factos verídicos, mas que não sejam trágicas! Mas também gosto muito de poesia.

Autor preferido
Fernando Pessoa.

Realizador preferido
Não tenho ninguém em específico. Gosto sempre que daqueles realizadores que conseguem exactamente transpor o livro para o filme, e quando estamos no cinema dizemos “eu sempre imaginei esta personagem ou este cenário desta forma”. Isso para mim é um bom realizador.

Filme preferido
“Depois do Amanhecer.”

Livro de cabeceira
“Ulisses”

Um álbum que a tenha marcado
Donna Maria “Tudo é para sempre”

Um livro que a tenha marcado
“Não basta ser bom, é preciso querer ser bom” (Paul Arden)

Um filme que a tenha marcado
“Dirty Dancing”

Nas férias: praia ou campo?
Praia!

Um destino de férias (nacional ou internacional)
Itália

Pratica alguma actividade física?
Dança

Em férias, qual o destino nacional que recomenda?
Açores

Qual a sua cor favorita?
Rosa em todas as suas tonalidades!

Qual o seu fruto favorito?
Morangos

Divisão da casa favorita?
Quarto

Divisão da casa onde passa mais tempo acordada?
Sala

Prefere trabalhar em casa ou fora de casa?
Fora de casa, gosto de me inspirar no que me rodeia

Prato preferido da gastronomia nacional
Alheira

Sobremesa preferida da gastronomia nacional
Arroz Doce

Água, vinho ou cerveja?
Água

Têm algum animal de estimação? Como se chama?
Sim tenho uma gata, que se chama Kika.